Le Scaphandre et le Papillon

|
Ou melhor, "O Escafandro e a Borboleta" é um daqueles filmes que nos deixam paralisados.

Literalmente!

O protagonista, um homem belo (para os padrões franceses, é claro!), bem sucedido, sofre um AVC durante um passeio de carro com seu filho. Após algum tempo em coma, retoma a consciência completamente paralisado, a não ser por um dos olhos, com o qual se comunica.

O filme é forte, dramático e extremamente intrigante. Baseado em um livro, podemos presenciar o esforço sobre humano de alguém preso dentro do seu próprio corpo. Sim, isso porque, apesar de suas limitações físicas, Jean-Dominique Bauby mantém suas habilidades mentais intactas. Daí a confecção do livro que deu origem ao filme.

Não quero tirar nehuma conclusão. Até porque, a idéia do filme era me livrar um pouco da inércia que tem sido a minha vida. Mas não posso negar, que ao ver o protagonista tentar se comunicar com o mundo me trouxe algumas reflexões.

Uma delas é a inexorável fugacidade da vida. Um momento estamos bem, saudáveis, felizes, mas no outro podemos estar presos a uma cama para sempre. Tudo bem, fatalidades acontecem.

Mas e aqueles que se prendem ao seu mundo????? Não por fatalidades ou qualquer coisa parecida???? Por simples opção!

O que me irrita é observar o quanto o homem, no sentido geral da palavra, valoriza o que não tem. E não serei hipócrita em dizer que talvez eu também não seja assim, mas pelo menos eu tento não sê-lo.

Daí vem todas aquelas indagações e culpas de não ter feito, de não ter sido, de não ter dito.........

Além disso, o filme nos mostra o que é estar perdido dentro do seu próprio mundo, um mundo que ninguém vê, ninguém ouve, ninguém sente. Nesse sentido, a solidão pode ser agonizante.

Como disse, não quero tirar conclusões precipitadas. Quero apenas refletir. No meu mundo...e quem sabe no seu também.

2 comentários:

Marcelo disse...

QUANDO A GENTE QUER A GENTE SEMPRE CONSEGUE DAR UM JEITO...ATÉ COM UM ÚNICO OLHAR A GENTE CONSEGUE TER UMA PERSPECTIVA DIFERENTE DO MUNDO....E QUEM SABE....NESSA IMENSIDÃO DE POSSIBILIDADES, DIANTE DE TUDO, TERMOS A FELICIDADE DE ENTENDER UM POUCO DO QUE ACONTECE AO NOSSO REDOR.....

Aline Biedrzycki disse...

Olá!
Visitei teu blog hoje pela primeira vez e, de cara, já gostei dele! Vi este filme esses dias e me apaixonei... No início, confesso, quase desliguei a TV, mas fui me envolvendo e adorei!
Parabéns pelo blog e até as próximas visitas (que acontecerão com certeza).
Bj.

Postar um comentário